Fernanda Lima na ISTOÉ gente--28/02/2011

page_1Vamos para a segunda capa que me conquistou no mês? Como me é comum, foi pelas prateleiras do supermercado, na fila do caixa. Como na capa analisada no artigo anterior, foi mais pela foto do que pelo design. No entanto, a ISTOÉ Gente da semana passada saiu-se melhor.

isto_e_gente_tercosO braço meio levantado de Fernanda Lima sobre um terço horizontal e o pescoço e coluna sobre um vertical são tão evidentes a ponto de quase serem didáticos. Parecem uma pequena aula da Regra dos terços.

isto_e_gente_diagonal_direitaAs cores sobem de intensidade a partir do canto esquerdo em áreas bem definidas. Embaixo, o vestido escuro, contra a pele dos braços e das costas. No meio, a pele clara e o verde. E, no topo direito, o cabelo quase branco, desaparecendo no céu. Sobre essa perpendicular, os olhos; paralelos a eles, os lábios. Ao invés de preto, que empurraria as cores para o fundo, os textos são de um cinza escuro muito bem escolhido.

isto_e_gente_eixosOs elementos de design se alinham por eixos centrais. Geralmente algo preguiçoso, pelo contrário, foi um alinhamento bem usado aqui. A linha do “t” e o decote do vestido alinhados na vertical são cruzados pelo texto. Oposto à principal caixa de texto, atenção para o crédito ao fotógrafo com um relativo destaque, à direita. Dá até vontade de pesquisar seu trabalho.

isto_e_gente_cantos_arredondadosAté os cantos arredondados da caixa de texto e da caixa do código de barras, não sei se conscientemente ou num acaso feliz, rimam quase que exatos com a curva inferior do “t”, o que os livra de seus raios parecerem arbitrários.

isto_e_gente_problemasPor poucos que sejam, alguns problemas estão lá. A sombra projetada no texto central se perdoa pela harmonia com as cores e pelo bom posicionamento do próprio texto. Já na caixa do lado direito, parece uma solução preguiçosa para ganhar contraste contra o cabelo, como foi feito na capa da Revista Alfa. E apesar das aspas terem sido corretamente alinhadas por fora no texto principal, elas não o foram nas caixas de texto secundárias. Um deslize daqueles para irritar o designer depois do trabalho pronto. Apesar desses incômodos, ainda é uma ótima capa.

sobral