Memórias

Six feet under
Ontem, terminamos de assistir à Six feet under. Choramos muito. Muito mesmo. Nós abraçamos, choramos, levantamos, fomos ao banheiro e deitamos. O tempo passava e meus pensamentos corriam absurdos. Não consigo até agora contar que idéia me fez chorar tanto. Só passei a noite pensando. Ouvindo as molas do colchão e pensando. Me virando e pensando. A Prik dormindo e me abraçando só percebeu que não dormi de manhã, quando eu não agüentava mais de dor-de-cabeça e sono.

sobral

Da faculdade até aqui
Um e-mail desses dias me fez pensar em tudo de marcante que me aconteceu do ano de 2005 até agora. As coisas boas, as ruins… Tudo que me fez tomar decisões ou me encheram das emoções mais fortes ou resultaram delas ou apenas são boas lembranças. Sei que essa lista é muito mais interessante de fazer do que de ler, mas… 2005: entrar no emprego em que estou até hoje; ser expulso, ainda que com a janela deixada aberta atrás de mim, do inferno; expor minha peça do trabalho de conclusão de curso no MIS; focar meus olhos nas mulheres comprometidas; conhecer a Prik; perder horas de sono por culpa de uma dessas comprometidas; viajar até Belo Horizonte para ver o filme da Ucha no curso de cinema e voltar cheio de orgulho; perder a chance de participar de um ménage à trois porque elas descobriram se amarem demais para que eu coubesse no meio, ainda que apenas por uma vez; ter a minha melhor festa de aniversário até agora.

sobral